VOLTAR     

 

 

CONDIÇÕES DE TAREFA MEDIÚNICA

 

Quanto às condições vamos encontrá-las extremamente diversas no universo mediúnico.

Muitos trazem seu compromisso a ser cumprido no decorrer de uma existência relativamente tranqüila. Reencarnam em ambiente favorável e chegam ao início da tarefa de forma natural, sem traumas.

Outros, talvez a maioria, renascem em ambientes desfavoráveis, materialistas, ateus, ou de religiões que solenemente condenam tudo que diga respeito ao Espiritismo, gerando medo e até ojeriza em seus inconscientes. Esses terão de lutar muito para vencerem os impedimentos interiores e exteriores, a fim de poderem assumir suas tarefas. Depois, terão ainda muitas dificuldades para se liberarem plenamente dos preconceitos religiosos e do medo, a fim de poderem serenamente, jubilosamente, sem qualquer embargo, por-se inteiramente à disposição para um contato pleno com o mundo espiritual.

Outros ainda, que talvez tragam por acréscimo compromissos cármicos pesados, encontram as mais diversas barreiras de ordem terrena. Muitos arrastam existências de extremas dificuldades econômicas, conjugais, familiares, de saúde etc., que terão de vencer para poderem dar cumprimento a seus compromissos de intercâmbio com o invisível.

Mas há um ponto importante a ser visto: é preciso ter sempre equilíbrio em tudo. Há casos em que o médium gera prejuízos para si e para outras pessoas, no afã de não abrir mão da totalidade do que entende ser a sua missão, quando nem todos os casos refletem compromisso.

A referência é feita aos que deixam filhos pequenos em casa sozinhos, achando que os espíritos irão cuidar deles; que perdem relevantes compromissos profissionais para não faltarem ao trabalho mediúnico, podendo ocasionar graves prejuízos ao próprio futuro e ao dos seus dependentes; que deixam a família em terceiro ou quarto plano, descuidando-se dela, e assim por diante. Em situações assim, importa usar o bom senso, entendendo que Deus não nos pede o impossível, e que não temos o direito de gerar transtornos ou dificuldades na existência daqueles a quem devemos assistir. Mas isto não significa baixar a cabeça e obedecer ao marido ou esposa, que não quer deixar o parceiro cumprir sua tarefa espiritual. Também não se deve faltar a ela por trabalho profissional que pode ser adiado ou mudado de horário; por comodismo, porque chegou uma visita, ou algum outro impedimento que pode ser contornado.

A prática mediúnica é fundamentalmente importante para o médium, e este deve ter o bom senso necessário para superar quaisquer problemas com paciência, amor e firmeza. Deve também buscar a sabedoria necessária para reconhecer o momento de afrontar as dificuldades, assim como aquele em que deve “dar um tempo”, para acalmar ou contornar situações mais difíceis.

Nesses, como em quaisquer outros casos de dúvida o médium possui canais interiores para encontrar respostas e orientações, mas para que esses canais estejam livres de influencias negativas é preciso limpar a alma de quaisquer idéias ou sentimentos negativos; relaxar para harmonizar-se; desenvolver sentimentos de amor e buscar contato com as esferas mais altas, não na aflição dos conflitos, mas na serenidade da confiança e na elevada freqüência do amor.

Dessa forma, sem pressa e sem nutrir dúvidas, procurar sentir, perceber ou mesmo ver ou ouvir se tiver tais faculdades, a resposta do Alto, a orientação que chega, geralmente com tamanho poder, com tal firmeza que transmite plena segurança em sua procedência superior.

Essa resposta do Alto pode também chegar por outros meios como sonhos, geralmente em formatos simbólicos, ou mesmo como uma firme convicção, aquela certeza de que esse é o caminho.

   

"Extraído do livro “Mergulho no Invisível”.